Page 2 of 2 FirstFirst 12
Results 16 to 19 of 19

Thread: MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer

   
  1. #16
    Points: 6,225, Level: 51
    Level completed: 38%, Points required for next Level: 125
    Overall activity: 0%
    Achievements:
    Tagger Second ClassVeteran5000 Experience Points
    MJJCommunity's Avatar
    Join Date
    Jan 2001
    Posts
    86
    Points
    6,225
    Level
    51
    Thanks
    1
    Thanked 166 Times in 28 Posts

    Default Re: MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer - Read his answers

    Exclusiva MJJC: Preguntas y Respuestas con el Dr. Steve Shafer Parte 3


    Esta es la Parte 3 de 3 de las respuestas del Dr. Steve Shafer a las preguntas de la MJJCommunity. En esta tercera y última entrega, el Dr. Shafer será responde a las preguntas acerca de Propofol, Lorazepam, Flumanezil, insomnio y otros temas relacionados.



    http://i43.tinypic.com/21l0klg.jpg




    Preguntas acerca del Propofol en general



    MJJC: ¿Cree usted que su testimonio ayudó a aliviar las preocupaciones de los pacientes acerca de Propofol o las cosas más o menos están igual?


    Dr. Steve Shafer: Esto puede haber ayudado, pero sólo un poco. El viernes que Paul White testificó yo estaba trabajando en el "Pabellón Allen", un hospital regional a cargo de la Universidad de Columbia que cubre un área de bajos ingresos de Manhattan y el Bronx. Yo estaba cuidando a un anciano quien preguntó qué fármaco le iba a aplicar Yo le dije "propofol". Como suele ocurrir, preguntó si ese era el fármaco que mató a Michael Jackson. Le dije que el propofol no mató a Michael Jackson, Conrad Murray mató a Michael Jackson. También le dije que el propofol era fármaco muy seguro. Él dijo: "He oído a un doctor decir eso en la televisión, pero yo no le creí”

    Le dije que yo era el médico que vio en televisión. Él pensó que era muy gracioso: el médico en matorrales de color azul, con un gorro de cirugía, con un estetoscopio en el cuello trabaje en esta clínica para los pacientes pobres podría ser el "famoso" médico que vio en televisión. "Sí, correcto", fue su respuesta. Él no me creyó ni por un segundo. Sin embargo, fue tranquilizado por mi "broma" de ser el médico que vio en televisión, y todo salió bien.



    MJJC: ¿Puede una persona volverse dependiente o adicto al propofol? Si es así ¿Qué el tipo de dependencia es física o psicológica?


    Dr. Steve Shafer: No hay muchos datos sobre esto, porque el propofol debe ser administrado por vía intravenosa, y realmente quema, lo que desalienta el abuso. Sin embargo, ha habido un número de muertes de anestesiólogos y otros servidores de salud por abuso personal del propofol. Basado en esto, estoy razonablemente seguro de que es adictivo.


    MJJC: ¿Por qué alguien siquiera tendría la idea de usar propofol como ayuda para dormir? Si es sólo para ser utilizados para la cirugía, ¿Por qué alguien iba a sugerir darlo a alguien para poder dormir?


    Dr. Steve Shafer: El mecanismo de acción de propofol es lo mismo que medicamentos como el Ambien que se utilizan para inducir el sueño. Esta es una pregunta de investigación razonable. Sin embargo, nunca se debe poner en práctica hasta que se haya estudiado en una investigación adecuada. Después de que el trabajo se haya hecho, sólo se debe utilizarse con la documentación apropiada y precauciones.



    MJJC: ¿Están las compañías farmacéuticas que hacen el Propofol en busca de pruebas de uso de propofol para dormir? ¿Cree usted que habrá más estudios de investigación acerca del Propofol siendo utilizado para dormir?


    Dr. Steve Shafer: Sí a ambas preguntas.


    MJJC: ¿Cuáles son los efectos conocidos sobre el sistema nervioso y el cerebro por el uso a largo plazo del Propofol?


    Dr. Steve Shafer: No muchos, porque este rara vez se utiliza para un uso a largo plazo. He sido capaz de encontrar un informe de un paciente que recibió propofol en la unidad de cuidados intensivos durante 51 días. Esta es la conclusión del artículo: "Hasta donde sabemos, este informe representa la primera documentación del uso de propofol para la sedación a largo plazo en un paciente con ventilación mecánica embarazada y la mayor duración de la infusión continua de propofol publicada en la literatura médica. El propofol se utilizó durante 51 días sin documentar efectos adversos maternos"(Tajchman SK, Bruno JJ El uso prolongado de propofol en una paciente embarazada en estado crítico Ann Pharmacother 2010,... 44:2018-22).

    Esta paciente fue apartada del propofol durante varios días, sin efectos negativos. Así que la administración de dos meses parece no tener consecuencias a largo plazo, al menos sobre la base de este ejemplo, y el hecho de que Michael Jackson haya seguido funcionando en el ensayo. Sin embargo, esos son sólo dos puntos. Más investigación se necesita hacer si se contempla el desarrollo de propofol para el uso a largo plazo.


    MJJC: ¿Uno consigue un "sueño reparador" con el Propofol? Hemos escuchado los expertos se contradicen entre sí en esto.


    Dr. Steve Shafer: La contradicción refleja el estado de la ciencia. He recibido propofol como anestesia hace aproximadamente un año, y he dado propofol a miles de pacientes. A menudo hay una sensación de haber dormido bien después de despertar del propofol.

    Sin embargo, los estudios sugieren que el sueño con el propofol es muy diferente del sueño normal, y no es "reparador" en la forma en que el sueño normal restaura. Por ejemplo, los sueños son importantes para la función cerebral. Los pacientes no sueñan con el propofol, excepto en el momento de despertar. Mi interpretación de los datos es que el propofol puede estar bien para conseguir que un paciente duerma, pero que el mantenimiento de un paciente con el propofol para dormir (como a veces hacemos en unidades de cuidados intensivos), probablemente está negando a los pacientes de un sueño restaurador.


    MJJC: ¿Está de acuerdo en que el propofol debe ser re-clasificado como una sustancia controlada?


    Dr. Steve Shafer: No. Creo que esto va perjudicar a los pacientes. En situaciones de emergencia necesitamos propofol inmediatamente, y en grandes cantidades. Me opongo a la colocación de obstáculos en el camino de los médicos que atienden a pacientes, a menos que haya un beneficio claro. Conrad Murray podría haber todavía obtenido propofol para Michael Jackson, ya que los médicos pueden ordenar sustancias controladas. Dado que el abuso mayor del propofol es por los médicos, por lo que el que sea controlado no limitará la capacidad de los médicos de abusar de este. Esto sólo pondría en peligro su capacidad para atender a los pacientes de emergencia.

    Esto ha sido objeto de una tema en Anesthesia & Analgesia. Esta es la portada de este tema: http://www.aaeditor.org/HWP/Covers/0710.cover.jpg


    MJJC: ¿Cree usted que ahora la comunidad de anestesiología será más cuidadosos en la manera de promover y enseñar cómo se debe usar el Propofol?


    Dr. Steve Shafer: Ya tomamos esto muy en serio. Estamos muy involucrados en la enseñanza del uso seguro de sedantes a nuestros colegas médicos. Esta tendencia se mantendrá. Tal vez serán más receptivos a la importancia de la sedación segura. Sin embargo, nada podemos hacer sobre la voluntad de llegar a un doctor que no pone a los pacientes primero.


    MJJC: ¿Cree usted que la comunidad médica ha aprendido de la muerte de Michael en lo que respecta a la prescripción a una persona poderosa, adinerada y el actuar erróneo de un médico?


    Dr. Steve Shafer: Por supuesto. He mencionado esto antes. Estoy consciente de esto porque de vez en cuando ver esto en mi práctica. Los médicos atienden a sus pacientes que actúan como los médicos. Este es un mensaje para los médicos y pacientes por igual.


    MJJC: ¿Puede explicarnos sobre la “paleta” de Propofol un poco más?


    Dr. Steve Shafer: El Propofol absorbido en el estómago nunca llega al cerebro, porque todo es eliminado por el hígado. Sin embargo, el suministro de sangre a la boca y el esófago (por encima del diafragma) no lo devuelve directamente al hígado. Por el contrario, sólo va al corazón, y de allí va a todas partes, incluido el cerebro. Así que una piruleta de propofol proporcionaría propofol en la sangre venosa, y de ahí al cerebro. Paul White y yo hablamos de esto en uno de los descansos antes de su testimonio. Se trata de una idea razonable, siempre que la dosis sea controlada adecuadamente.

    Debería esto siempre estar disponible, entonces yo reconsiderara mi posición en la clasificación de propofol como una sustancia controlada. Mi punto de vista actual está muy influenciado por el hecho de que sólo funciona cuando se administra por vía intravenosa, y que ¡Quema en verdad!


    MJJC: ¿A qué sabe el Propofol?


    Dr. Steve Shafer: Tiene la consistencia de la leche descremada, y sabe como un aderezo para ensaladas muy medicinal.


    MJJC: El experimento en Beagles con el Propofol realizado por la Defensa, ha puesto a PETA y a los fans de MJ enojados. No esperamos que usted tenga alguna información directa sobre el experimento en Beagles, pero como los seres humanos no fueron afectados por Propofol potable, es seguro asumir que los Beagles no sufrieron daños, ¿Es así?


    Dr. Steve Shafer: Creo que es muy poco probable que cualquier daño llegara a los sabuesos. No debe haber ningún efecto a partir de la potabilidad del propofol. Sin embargo, me siento a gusto que ni el protocolo experimental, ni los resultados del experimento fueron presentados en la corte. Yo creo que cuando los animales o los seres humanos participan en los experimentos, hay una obligación ética para redactar y publicar la investigación que se suman al área del conocimiento. Es el mayor conocimiento el que justifica moralmente la investigación. Escribí nuestro estudio en seres humanos para su publicación, le pedí a Paul White revisarlo, y se lo dio a la defensa. Yo creo que deberían haber hecho lo mismo con su estudio en Beagles.


    MJJC: Hemos escuchado la teoría de que algunos de los Benzos y/o Propofol que fueron dados a MJ por Murray se pueden utilizar para las personas con adicción a las drogas para ayudar a compensar su adicción a otras drogas como el Demerol, ¿Es esto cierto? ¿Puede comentar sobre esto?


    Dr. Steve Shafer: Hay una técnica de desintoxicación rápida que consiste en colocar a los pacientes bajo anestesia general durante un largo periodo de tiempo (horas o días) y farmacológicamente dar marcha atrás a los opioides con "antagonistas de los opioides", los fármacos que bloquean los efectos químicos de Demerol y fármacos similares. Esto es controversial, pero es probable que funcione en algunos pacientes.



    *******


    Preguntas acerca del Demerol



    MJJC: ¿La cantidad de Demerol que el Dr. Klein dio a Michael es normal o es una dosis demasiado grande?


    Dr. Steve Shafer: No puedo responder sin saber por qué se le dio Demerol. El Dr. Klein no testificó en el juicio. Me siento incómodo ofreciendo alguna opinión, sin mayor información.


    MJJC: ¿Su respuesta cambiaría si se toma en cuenta la historia médica de MJ (víctima de quemaduras) con este fármaco? ¿Cree que es excesivo?


    Dr. Steve Shafer: Una vez más, pido disculpas, pero no quiero emitir una opinión sin saber por qué el doctor Klein estaba administrando Demerol. Esto probablemente refleja mi cautela como Editor en Jefe de una revista médica. Los editores médicos son reacios a dar una opinión pública a menos que estén seguros de que entienden los hechos.


    MJJC: En su opinión, ¿El Demerol agrava el insomnio como efecto secundario? ¿Desempeñó algún papel en la salud física y mental de Michael? ¿Cuál era el mejor tratamiento para el insomnio de Michael?


    Dr. Steve Shafer: Hay tres preguntas. Voy a contestar con en orden:

    El nombre químico del Demerol en los Estados Unidos es "meperidina" En muchos países se conoce como "petidina". La meperidina tiene un metabolito, "normeperidina", que es un estimulante del sistema nervioso. Como un estimulante nervioso, yo esperaría que agrave el insomnio.

    El médico forense examinó la sangre y de orina para la meperidina (Demerol) y normeperidina. Ninguno pudo ser detectado. Por lo tanto, la meperidina no jugó un papel directo en la muerte de Michael Jackson el 25 de junio. Sin embargo, ustedes hicieron una pregunta más general sobre "jugar algún papel en la salud física y mental de Michael." Es una buena pregunta, y de nuevo tendré que ofrecer disculpas por no responder. No he leído los expedientes médicos del doctor Klein o escuchado una explicación detallada de su atención a Michael Jackson. Me siento incómodo especulando sin esa información.

    Los trastornos del sueño son complejos, y su tratamiento es una rama especializada de la medicina. Es de mi entendimiento de que cualquier medicamento que afecte el nivel de conciencia puede agravar los trastornos del sueño. Hay una buena descripción de los trastornos del sueño, y el tratamiento de los trastornos del sueño común, en http://www.sleepfoundation.org/artic...s-and-insomnia.


    *******


    Preguntas acerca del Lorazepam, Flumazenil, y Efedrina



    MJJC: ¿Podría el lorazepam libre detectado en el líquido gástrico explicase por la hemorragia de estómago causada por la CPR o incluso por la mezcla accidental de sangre en el momento de la autopsia (como fue sugerido por el médico forense, el Dr. Rogers en el anteproyecto, aunque No volvió a mencionarlo durante el juicio)?


    Dr. Steve Shafer: Tal vez. Sin embargo, el lorazepam libre era de esperar, simplemente porque las moléculas como el lorazepam se espera que pasen de la sangre al estómago, al igual que cruzan todos los tejidos. Así es como la lidocaína y el propofol se metieron en el estómago. El Lorazepam se debe comportar de la misma manera.

    Además, la enzima beta-glucuronidasa es secretada por la pared del estómago en el líquido del estómago. Beta glucuronidasa es una enzima que podría convertir al lorazepam glucurónido de nuevo en Lorazepam. Entonces la sangre podría ser responsable de esto, pero más que esto es probable que fuera la simple difusión del lorazepam por la sangre en el estómago.



    MJJC: ¿Hay alguna otra razón para que el flumazenil debe administrarse además de revertir los efectos de las benzodiazepinas (lorazepam en este caso)?


    Dr. Steve Shafer: No.



    MJJC: ¿Tiene siquiera sentido de dar una Flumazenil persona que según el Dr. Murray sólo recibió 4 mg de lorazepam para empezar?


    Dr. Steve Shafer: La parte más crítica de la reanimación es mover el aire dentro y fuera de los pulmones del paciente. El problema con dar flumazenil es que distrae a Conrad Murray de la tarea crítica de mover el aire dentro y fuera de los pulmones de Michael Jackson. Si hubiera habido varias personas participando en la reanimación, y a continuación, se da el flumazenil habría tenido sentido. Sin embargo, ya que Conrad Murray estaba solo, una interrupción más larga de unos pocos segundos es demasiado larga.


    MJJC: ¿Puede explicar su consideración de los niveles de lorazepam, con más detalle?


    Dr. Steve Shafer: Voy a responder tan bien como yo puedo, pero no estoy seguro exactamente lo que quieres saber. Los niveles de lorazepam fueron suficientemente altos para que usted o yo hubiéramos tenido mucho sueño por estos. Sin embargo, las pacientes se vuelven tolerantes a lorazepam y otros fármacos (las "benzodiazepinas"). Dado que Michael Jackson tenía una concentración bastante alta, y de acuerdo a Conrad Murray, que no fue suficiente medicamento para inducir el sueño, él debe haber sido tolerante.

    La defensa quería atribuir la muerte de Michael Jackson, en parte, al lorazepam por vía oral. El problema con esta teoría es que sólo había una pequeña cantidad de lorazepam en el estómago de Michael Jackson. Para explicar esta pequeña cantidad, la defensa alegó que Michael Jackson ingirió lorazepam alrededor de 5 horas antes de la hora de la muerte. Si eso fuera cierto, entonces la concentración de lorazepam podría haber alcanzado su máximo sobre el tiempo en que Conrad Murray afirma que Michael Jackson estaba pidiendo más medicamentos para conciliar el sueño. Así que ese argumento no tiene sentido.


    MJJC: De acuerdo al informe de la autopsia había efedrina en el cuerpo de Michael. Es una droga que agrava el insomnio. ¿Cómo la efedrina con las benzodiacepinas y el propofol, podría someter a efecto de estos fármacos?


    Dr. Steve Shafer: Había una botella de cápsulas de compuesto de efedrina, cafeína y aspirina en la habitación. La efedrina se utiliza a veces para la reanimación. Como había efedrina en la orina de la autopsia de Michael Jackson, así como en la orina que se encontró en el lugar, yo asumo que la efedrina se ingirió de manera oral, y no por administración como parte de la reanimación.

    La efedrina puede reducir los efectos del propofol y las benzodiazepinas en la presión arterial y frecuencia cardíaca. La efedrina crónica podría agravar el insomnio.


    ******


    Pregunta sobre la investigación médica en general



    MJJC: El Juez Pastor se refirió a Murray como haciendo de Michael Jackson parte de un "experimento científico". Esto, desafortunadamente, podría disuadir a los pacientes de sentirse cómodos participando en ensayos clínicos y otros tipos de investigación científica y médica beneficiosa. ¿Puedes hablarnos de la intersección importante entre la investigación de los científicos y la práctica clínica de los médicos?


    Dr. Steve Shafer: He realizado docenas de estudios clínicos. No creo que esto afectará negativamente el reclutamiento de pacientes en ensayos clínicos, ya que este "experimento" no se parece a un estudio científico. Creo que "experimento" es un término exacto, ya que correctamente implica que Murray no tenía idea de lo que iba a encontrar, día tras día con la administración del propofol. Así que esto fue un experimento que se estaba llevando a cabo todos los días para ver cómo Michael Jackson podría responder. Sin embargo, yo no creo que nadie confunda este experimento con un experimento científico adecuado.

    La pregunta más importante a realizar es sobre la intersección entre la investigación y la práctica. Esta es una pregunta importante, y (afortunadamente) a la que se le ha dado una consideración muy cuidadosa. La respuesta se remonta al Código de Nuremberg, que siguió el juicio de los médicos nazis culpables de atrocidades en el final de la Segunda Guerra Mundial. Ustedes pueden encontrar una excelente descripción en la Wikipedia. Esto fue actualizado por el Informe Belmont, publicado en 1978. Una vez más, hay una excelente descripción en Wikipedia. Como se explica en el Informe Belmont, la "investigación" se diferencia de la práctica clínica en que la investigación es una investigación sistemática destinada a crear conocimiento generalizable. "Sistemático" significa que el investigador intencionalmente reúne datos para responder a una pregunta. Conocimiento generalizable significa que el investigador cree que la información obtenida es útil para otros, y tiene la intención de "generalizar" el conocimiento, por lo general mediante su publicación. Si buscas en Google "Anestesia y Analgesia en la póliza sobre revisiones institucionales que la junta aprobó y sobre el consentimiento informado para la investigación" se encuentra un editorial que escribí en marzo sobre el tema.



    ******


    Preguntas sobre el Insomnio



    MJJC: Décadas de mentiras, calumnias, engaños, de tratamiento inhumano de los medios y conceptos erróneos han causado daño a Michael, un inmenso dolor y angustia que resultó en insomnio. Sabemos que el Propofol no era la respuesta, pero ¿Qué piensa usted que debería haber hecho (médicamente) para tratarlo?


    Dr. Steve Shafer: Tendría que haber estado bajo el cuidado de un doctor en medicina del sueño. Tenía un terrible mal, que requería el cuidado de expertos.



    MJJC: ¿Cree usted que la meditación de la que Murray estaba hablando en su entrevista con la policía en realidad podría ayudar a Michael a dormir?


    Dr. Steve Shafer: Tal vez. Conrad Murray mencionó tanto el propofol y lorazepam. Se trata de dos sedantes que actúan sobre el mismo receptor en el cuerpo, el receptor "GABA" (ácido gamma-aminobutírico). La mayoría de los medicamentos para dormir también actúan sobre el GABA, las excepciones son los antihistamínicos (por ejemplo, Benadryl) y la melatonina. Así que yo esperaría que estos medicamentos induzcan al sueño. Sin embargo, no se debe utilizar para mantener el sueño, ya que el medicamento interfiere con algunas de las funciones cerebrales que se requieren para el sueño sea "restaurador", lo que significa que refresca el cerebro.




    *********


    Comentarios finales



    MJJC: Cualquier cosa que quieras decir a los miembros de la MJJCommunity y a los fans de Michael Jackson en general.


    Dr. Steve Shafer: Una vez que sus preguntas acerca de la trágica muerte de Michael Jackson han sido respondidas, yo los animo a que sigan adelante. Conrad Murray ha sido condenado. Tenemos una comprensión razonable de lo que sucedió. Es hora de volver a los bonos que llevaron a la MJJCommunity a estar juntos en el primer lugar: La celebración de la vida de Michael Jackson, su mensaje y su música.

    Agradezco la oportunidad de responder a sus preguntas, y espero que las respuestas sean útiles para la MJJCommunity.



    Atentamente,


    Steve Shafer


    ****
    MJJCommunity - Michael Jackson Community
    Loyally honouring Michael Jackson since 2001
    Have a question or query by all means give us a shout contact@mjjcommunity.com

  2. #17
    Points: 6,225, Level: 51
    Level completed: 38%, Points required for next Level: 125
    Overall activity: 0%
    Achievements:
    Tagger Second ClassVeteran5000 Experience Points
    MJJCommunity's Avatar
    Join Date
    Jan 2001
    Posts
    86
    Points
    6,225
    Level
    51
    Thanks
    1
    Thanked 166 Times in 28 Posts

    Default Re: MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer - Read his answers

    MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer Part 1/ Exclusivo MJJC Q&A com Dr Steve Shafer,1ª parte

    This is Part 1 of 3 of Dr. Steve Shafer's answers to MJJCommunity questions.

    Parte 1 de 3,das respostas do Dr Steve Shafer's a Mjjcommunity.Nesta primeira fase,Dr Shafer responderá a questões relacionadas com Michael Jackson,com ele proprio,Dr Shafer,e Conrad Murray,bem como sobre o julgamento.

    http://i39.tinypic.com/35hloxe.jpg

    Perguntas sobre Michael Jackson, em geral:

    MJJC: Já ouviu a música de Michael Jackson e se sim, qual é a sua música favorita?

    Dr. Steve Shafer: Eu cresci a ouvir a música de Michael Jackson, assim como o resto do mundo. Thriller foi o único álbum que eu conheci bem, e "Beat it" é a minha faixa favorita dele. A mensagem e a música dizem-me muito .

    MJJC: Qual asua opinião sobre Michael Jackson antes deste julgamento?

    Dr. Steve Shafer: Eu sabia muito pouco sobre sua vida pessoal, e o que sabia,era o que lia nas revistas ocasionais e sensacionalistas. Eu intencionalmente não li nada sobre sua vida antes do julgamento, porque não queria induzir opiniões no meu testemunho. Já li muito desde o julgamento.

    MJJC: A sua opinião sobre Michael Jackson mudou durante e após o julgamento? Positiva ou negativamente,qual é a sua opinião atual sobre Michael Jackson?

    Dr. Steve Shafer: Sim,mudou. Durante o julgamento vi-o como um paciente, assim como muitos pacientes que tenho cuidado. Durante o julgamento eu não tinha imagem mental de Michael Jackson como um ícone ou artista famoso. Ele era um paciente que morreu recebendo cuidados médicos. Era importante manter o foco sobre ele, como um paciente.

    Dito isto,estava consciente de que as suas interacções com Conrad Murray,foram,em parte,um efito colateral trágico da sua riqueza.Passei 20 anos no corpo docente da Universidade de Stanford, e mais recentemente na Universidade de Columbia. Pacientes que são muito ricos costumam escolher um centro de renome,com medicos muito conhecidos. Pacientes mais ricos são pessoas muito amáveis ​​e decentes. No entanto,ocasionalmente encontro um paciente rico que acredita que porque ele ou ela é rica, ele ou ela pode simplesmente me dizer como dar anestesia. É isso que estão habituados a fazer: dar ordens e ter as pessoas a dizer "sim."
    Eu acredito que Michael Jackson caiu nesta armadilha...acreditando que poderia dizer aos médicos o que fazer e esperar que fizessem,mas isto não desculpa seus médicos para dizer "sim". No entanto, a riqueza e a fama podem ser uma maldição.

    A Minha opinião de Michael Jackson é que ele era um músico talentoso,um artista com verdadeira compaixão. No entanto,alcança a (merecida) fama em jovem, e passou toda a sua vida sob o olhar de escrutínio público.O Que não parece ser uma bênção para mim. Para mim parece uma tragédia. Ele nunca viveu uma vida normal.

    MJJC: Durante o julgamento, a defesa e vários meios de comunicação repetidamente chamaram Michael Jackson de "viciado em drogas". Baseado em seu conhecimento e pesquisa, neste caso, diria que Michael Jackson era um "viciado em drogas" ou não?

    Dr. Steve Shafer: "Addiction" é um termo leigo, e não um termo médico. O termo médico correto é a dependência de substâncias.Encontra uma explicação exata deste na Wikipédia.Também pode encontrar uma boa descrição no http://www.csamasam.org/pdf/misc/DS..._diagnosis.doc.

    Eu acho que Michael Jackson provavelmente tinha uma dependência de sedativos no momento de sua morte, porque estava a receber sedativos por via intravenosa todas as noites. Esse tipo de exposição regular é quase certo que causa dependência.

    MJJC: Pode Dr. Shafer emitir um parecer sobre a condição crónica dos pulmões de Michael (bronquiolite respiratória, pneumonite intersticial crónica multifocal,e a inflamação crónica)? Alguns médicos de TV, (Dr. Drew), alegaram que poderia ser devido à contínua / longa exposição ao Propofol. No entanto MJ é conhecido por ter Pleurisia em 1977 e relatou que "ele tinha uma bolha nos seus pulmões" em anos posteriores. Poderia ter sido causado pelo Propofol ou pode estar relacionado com o seu Lupus?

    Dr. Steve Shafer: Propofol é comumente usado para infusões em unidades de terapia intensiva. Eu não tenho conhecimento de qualquer efeito primário de propofol sobre os pulmões. No entanto, devido ao facto da traquéia de Michael Jackson não ter sido protegida, enquanto recebia propofol,poderia ter inalado regularmente pequenas quantidades de saliva ou conteúdo estomacal regurgitado, enquanto anestesiado com propofol. Isto pode danificar os pulmões e produzir inflamação crónica.


    Perguntas sobre Dr. Shafer em geral:

    MJJC: Desde que seu pai faleceu durante o julgamento, foi difícil testemunhar? (por favor aceite as nossas mais sinceras condolências pela sua perda)

    Dr. Steve Shafer: Eu tenho compartilhado com alguns membros do MJJCommunity minha história pessoal sobre a morte de meu pai. Vou poupa-lo dos detalhes, além de dizer que, para mim, o julgamento trouxe-me um presente inesperado: a hipotese de estar com meu pai quando ele morreu. Se não fosse pelo julgamento,teria ido para Nova Jersey.Assim sendo,estive a seu lado, oferecendo amor e morfina. (Só espero que um dos meus filhos decida enveredar por uma carreira em anestesia.)

    Durante o meu testemunho, senti que meu pai estava ao meu lado. Isso deu-me confiança, particularmente durante interrogatório. Eu sabia que desde que meu pai estivesse comigo, eu ficaria OK.

    MJJC: Durante depoimento, soubemos que você bebeu Propofol. Será que você bebe-lo antes de realizada a pesquisa científica? O que levou você a beber a si mesmo?

    Dr. Steve Shafer: Eu sabia que a defesa iria rejeitar estudos com animais,dizendo que não se aplica a seres humanos, assim como Paul White fez quando perguntado sobre os estudos feitos em animais,com propofol na urina. Não há nenhuma maneira de realizar um estudo em humanos, nos EUA, em três meses.
    Então pensei que a melhor prova que conseguiria seria simplesmente dizer que bebeu propofol e relatar se tivesse quaisquer efeitos. Eu sabia farmacologia o suficiente para estar absolutamente certo de que era inerte.

    Cerca de uma semana depois,meu colega Pablo Sepulveda no Chile,disse-me que seria capaz de conduzir um ensaio clinico em voluntarios.Isso fez o meu "beber" propofol completamente irrelevante.

    No entanto, lembrem-se que o propofol é único e completo na "primeira passagem"do metabolismo. Não se deve tentar isso com outras drogas. De fato, muitas drogas de anestesia seriam fatais se consumidas assim. Isto não deve ser tentado como um truque numa festa!

    MJJC: Algum comentário sobre o comentario que Sr. Chernoff fez,referindo-se a si como um "policial"?

    Dr. Steve Shafer: Não,é o seu trabalho. Não me incomoda em nada.

    MJJC: Durante o seu interrogatório a Defesa perguntou: "Está ciente de que tudo que disse aqui foi apenas a sua opinião?" Na sua resposta concluiu que esta era uma pergunta interessante, onde é que 'opinião pessoal',termina, e "Dr. Shafer" começa?Dr. Shafer, chega a alguma conclusão neste dilema?Considera sábio ou mesmo desejável,dividir sua mente na figura e Dr. Steven Shafer? Será que é mesmo possível fazê-lo? Qual seria o resultado mais provável? Poderia haver uma "força" considerável numa opinião pessoal e honesta?

    Dr. Steve Shafer: Eu pensei nessa questão mais tarde. Não estavaá espera, provavelmente porque não sou um perito experiente. Esta foi apenas a segunda vez que testemunhei em tribunal.

    Mr. Chernoff estava focado na minha formação científica. Os cientistas estão relutantes em afirmar que algo é um fato certo. Há evidências e conclusões, mas a ciência está sempre aberta a novas provas e novas conclusões. Perguntou-me: "não foi o seu testemunho inteiramente a sua opinião"? foi um convite para dizer "sim", baseado na minha interpretação, "sua opinião", como se referindo á minha opinião científica. Se eu tivesse respondido "sim", teria aberto a porta para ele dizer em seu discurso de encerramento: "Dr. Shafer admitiu que suas opiniões eram apenas suas opiniões. "Isso seria usado para o uso comum de" opinião ", como mera especulação não suportada pelos dados.

    Havia dois aspectos para o meu testemunho: padrão de atendimento, e farmacologia propofol. Eu preciso discutir fato vs opinião para estes separadamente.

    Muitos aspectos do "padrão de cuidado",foram codificados pelas organizações.Por exemplo, a Sociedade Americana de Anestesiologia tem diretrizes de prática que muito claramente ditam as normas de padrão de cuidado durante a administração de anestesia. Meu testemunho foi baseado em grande parte, nessas orientações. Poderiam argumentar que era apenas minha "opinião" para representar as diretrizes publicadas da Sociedade Americana de Anestesiologia como fato. No entanto, é um fato que publicaram orientações sobre o padrão de atendimento, e as diretrizes publicadas foram a base da minha "opinião".

    Há aspectos do padrão de atendimento que não estão abrangidos por normas publicadas, porque são auto-evidentes. Acredito que os médicos não devem mentir. Acredito que Conrad Murray interpretou mal as drogas que deu a Michael Jackson.Foi uma violação inadmissível do padrão de atendimento. É minha opinião? Sim. No entanto, acho que cada pessoa no planeta compartilha minha opinião de que um médico não deve mentir. Da mesma forma, é minha opinião que os médicos devem colocar o interesse de seus pacientes à frente dos seus interesses pessoais. Essa é a minha "opinião". No entanto, mais uma vez eu acho que é uma opinião que é universalmente compartilhada. Isso pode ser descartado como "mera opinião?"

    Em relação à parte científica do testemunho, a minha "opinião" é a de um especialista na área. As simulações foram apresentadas em representações matematicamente precisas de farmacocinética. Mencionando um erro matemático da minha parte, as simulações mostram exatamente o sangue e as concentrações de propofol,o efeito local previsto por modelos específicos de farmacocinética de doses específicas. O "expert" aspecto é decidir o se as doses devem ser simuladas, e se estes são cenários prováveis. Eu fiz muitas simulações, e até mesmo compartilhei com a defesa,as minhas planilhas para que pudessem fazer bem as simulações. Escolhi alguns sobre outros com base em dados,que é uma "opinião de especialistas." No entanto, é mais cientificamente pcorrecto dizer: "conclusão, com base nos dados" que chamar de "opinião", uma vez que esta implica especulação desinformada.

    MJJC: Diverti-o como divertiu muita gente, quando Dr. White foi chamado de "Dr. Shafer" várias vezes em tribunal pelo Ministério da Defesa, e até mesmo pelo Juiz?

    Dr. Steve Shafer: Sim. Acho que toda a gente se divertiu.

    MJJC: Conheceu alguém da família Jackson antes, durante após o julgamento? Se sim,já lhe fizeram alguma pergunta de médico?

    Dr. Steve Shafer: Eu falei com eles brevemente várias vezes enquanto iamos ou saiomos do tribunal. Eles foram muito gentis, e ofereceram condolências pela morte do meu pai. Eu referi que ambos tinhamos sofrido perdas, e dei as minhas condolências em troca. Apreciei as suas gentilezas.

    MJJC: Será que a sua vida mudou após este julgamento? Se sim, positiva ou negativamente?

    Dr. Steve Shafer: Aprendi imenso com o julgamento,incluindo:
    • Um muito sobre a farmacologia do propofol e lorazepam (eu li imenso para me educar sobre as questões, e para responder às alegações feitas pela defesa).
    • Algo sobre como o sistema de justiça criminal funciona. Fiquei impressionado com o que vi. Em particular, o promotor público foi absolutamente honesto e transparente. Isto não foi um "jogo". Foi uma tentativa para determinar a verdade.
    • Diferentes abordagens para discernir a verdade. Em ciência, "verdade" é determinada pela experiência, observação, avaliação por pares, e a natureza sempre questiona a ciência. Na ciência, o ônus da prova recai sobre a pessoa que faz a alegação. Em direito penal, "verdade" é determinada por um júri que chega sabendo quase nada, o exato oposto dos revisores. Em direito penal, o ônus da prova cabe à acusação. A defesa não pode afirmar nada sem provas. Eu aprendi ambos os sistemas de trabalho.

    Tenho recebido um feedback maravilhoso dos meus colegas de profissão. Não vai me mudar, mas tem sido gratificante.

    Eu tive cartas muito gentis da comunidade de fans de Michael Jackson. Não esperava isso, mas têm sido apreciadas.

    MJJC: O que acha do amor dos fans de Michael Jackson e apreço para consigo?sabe que muitos fãs expressaram publicamente o seu amor e gratidão a você, e usam as suas fotos e citações para se expressar? O que acha disso?

    Dr. Steve Shafer: Não esperava! No entanto, entendo que não sabendo o que aconteceu a Michael Jackson tem causado uma dor considerável em seus milhões de fãs. Se o meu testemunho foi útil,talvez tenha trazido um fechamento de seu falecimento, para que possam novamente se concentrar em sua música e mensagem, então estou honrado por ter tido a oportunidade.
    Tentei responder a muitos e-mails que recebi.Estou grato pelos comentários que tenho recebido dos fãs de todo o mundo.

    MJJC: Agora que o julgamento terminou, o que se seguirá para Dr. Steve Shafer? Retornará à prática? Ensino? Educação do paciente e de advocacia?

    Dr. Steve Shafer: Todas as opções acima descritas.

    Eu não assisti aos dois primeiros dias do testemunho de Paul White, porque estava na sala de cirurgia na Universidade de Columbia a dar anestesia. Eu amo a anestesia clínica. Eu amo cuidar dos pacientes. Todos nós precisamos de definir quem somos. Para mim, é simples: eu sou um médico. Eu cuido de pacientes. Se algum dia eu parar de cuidar de pacientes, eu não sei quem sou. Isso é o que eu faço.

    Dito isto, o meu trabalho como editor-chefe da Anesthesia & Analgesia requer cerca de 60 horas por semana. Mesmo durante o julgamento ia para casa ler um dúzia de novas submissões a cada noite, atribuir editores e revisores, e atribuia a outros processos uma duzia de letras de decisão. Eu vou fazer isso todos os dias até que o meu mandato como Editor-Chefe termine em 2016.

    Eu continuo a ensinar. Você daria uma risada na palestra mais recente que dei na Universidade de Columbia: o papel da farmacologia clínica (por exemplo, farmacocinética) no julgamento de Conrad Murray.

    Anesthesia & Analgesia é a maior revista médica na área de anestesiologia. Eu uso Anesthesia & Analgesia como uma plataforma para defender a educação do paciente, o atendimento ao paciente e segurança do paciente (http://www.anesthesia-analgesia.org). Só raramente envolve a minha própria escrita.O Jornal foca o atendimento ao paciente por meio de políticas editoriais, ancoradas em fazer o que é melhor para os pacientes.

    Eu continuo a perseguir minha própria pesquisa, principalmente modelar o comportamento das drogas usadas em anestesia. Grande parte desta, está agora em colaboração com a minha esposa, Pamela Flood, que é a chefe de Anestesia Obstétrica da Universidade da Califórnia em San Francisco.

    Estou envolvido ativamente no desenvolvimento de novas drogas para melhorar a segurança da anestesia e o controle da dor. Em 2003,co-fundei uma empresa de biotecnologia para desenvolver drogas melhores para anestesia e controle da dor. pode saber mais em http://www.pharmacofore.com
    O Nosso trabalho está a progredir bem, e isso também requer alguma da minha atenção.

    MJJC:Como tem respondido a comunidade medica?Como tem reagido para consigo desde o seu testemunho?

    Dr. Steve Shafer: A resposta tem sido uniformemente positiva. Houve apreciação considerável do que falei sobre os valores que os médicos devem realizar, bem como explicar claramente as questões médicas e científicas envolvidas. Eu não testemunhei para ter qualquer atenção ou reconhecimento, e isso deixa-me um pouco desconfortável. No entanto, a validação do meu testemunho dos meus colegas médicos mostrou que eu fiz a coisa certa.

    MJJC: Os media aproximaram-se de si para entrevistas? Se sim, por que não o vemos na TV?

    Dr. Steve Shafer: Sim, fui abordado, mas não acho que as entrevistas tenham sido transmitidas. Penso que a razão é que não gostaram das minhas respostas. Perguntaram-me sobre o que eu penso da sentença de Conrad Murray,qual devia ser. Eu respondi honestamente que não tinha como julgar isso. Eu disse que nossos legisladores determinaram as sentenças apropriadas para o comportamento criminoso, e os juízes, de seguida, impõem as sentenças com base nos tramites da lei. Eu disse que isso era realmente uma questão para o Juiz Pastor, que é um especialista.Não acho que gostassem da minha resposta.provavelmente esperavam algo muito mais vingativo de mim.

    Perguntaram-me como me senti sobre o meu papel na condenação Conrad Murray. Honestamente respondi que eu não acho que tenha tido um grande papel. Conrad Murray deu a Michael Jackson propofol num quarto, sem ter pratica, sem acompanhamento, sem backup, sem prestação de contas,abandonou-o para falar ao telefone, e depois mentiu sobre a sua ação. Sua culpa era óbvia quando os fatos surgiram em 2009, e tornou-se mais óbvio depois do meu depoimento.

    MJJC: Uma das partes mais chocantes do testemunho do Dr. White, foi quando ele admitiu que não tinha relido a literatura científica atual sobre Propofol. Sob interrogatório,também admitiu que não tinha terminado de ler os artigos dos jornisl que foram usados ​​para criar as simulações de Propofol, que apresentou como base do seu depoimento judicial. Como cientista achei que isso seria um comportamento profissional extremamente irresponsável. Pode Por favor dizer como se preparou para o seu testemunho neste julgamento?

    Dr. Steve Shafer: passei dezenas e talvez centenas de horas de preparação. Eu li bem mais de 100 papéis. Analisei inúmeros dados, de varias maneiras,e ainda tornei as minhas planificações disponíveis para a defesa. Eu fiz o "trabalho pesado" que se espera de um especialista. Isso não é exclusivo a este caso - é como eu me aproximo tudo que faço.

    MJJC: Pastor Juiz escolheu a gravação de Murray sob MJ como sendo a prova que o afetou mais durante o julgamento. Houve alguma coisa que afetou Dr. Shafer em todas as provas que Viu?

    Dr. Steve Shafer: Sim, o comportamento da consistência de Conrad Murray. Na sentença o juiz Pastor mencionou as audiências descritas,o padrão de detalhes de Conrad Murray, as ações repetidas,as mentiras, o auto-serviço e descuido pelo bem-estar do seu paciente. Isso foi o que eu vi também.

    MJJC: Como escolheu sua profissão? O que o fez começar?

    Dr. Steve Shafer: Muitos médicos escolhem uma carreira médica muito cedo na vida. Eu sabia desde o tempo em que tinha 9 anos,que queria ser médico. A inspiração foi o meu pediatra. Ele parecia saber absolutamente tudo, e fiquei espantado com o sopro dos seus conhecimentos. Além disso, durante anos, passava vários meses no "Navio Hope"a praticar medicina em países do terceiro mundo. Eu admirava profundamente o seu sentido de serviço aos outros. Esse foi o meu modelo

    MJJC: Algum dos seus pais se relaciona com a esfera médica?

    Dr. Steve Shafer: Eu sou o primeiro médico da minha família. Meu pai era um consultor de gestão, e minha mãe era uma dona de casa. Ambos se orgulhavam de ter um filho que foi para a escola de medicina. Tornei-me o recurso da família para todas as questões médicas.

    MJJC: O seu pai soube da sua intenção de tomar uma posição no julgamento de Conrad Murray? Se sim, quais foram os seus pensamentos sobre isso, se existirem?

    Dr. Steve Shafer: Sim.Gostou muito. Ele disse-me que o deixei orgulhoso. Ele também estava ciente de que eu o ia visitar todos os dias porque estava em Los Angeles para o julgamento.

    Ele viu o meu testemunho na manhã de quinta-feira, e morreu naquela noite.


    Perguntas sobre o julgamento, em geral:

    MJJC: O que acha de DA Walgren?

    Dr. Steve Shafer: Ele é brilhante, dedicado, e absolutamente honesto. Ele trabalhou muito. Eu acho que ele dormia cerca de 4 horas todas as noites do julgamento.

    Parte do meu trabalho foi educar o Sr. Walgren na ciência. Até ao momento do julgamento, ele foi ocasionalmente corrigindo os meus cálculos! Ele foi tão eficaz ao lidar com opinião de especialistas, em parte porque ele realmente comprendeu os princípios científicos.

    Como contribuinte, é surpreendente que advogados como o Sr. Walgren trabalhem para o Estado da Califórnia, com um salário de servidor público. Nós estamos realmente a empregar bem o nosso dinheiro!

    MJJC: Viu Pastor Juiz dar a sua declaração de condenação? Algum comentário sobre isso?

    Dr. Steve Shafer: Sim,assisti ao vivo. Sorri quando o Pastor juiz usou palavras específicas e idéias que eu apresentei no meu testemunho. Além disso, depois de ter lido todos os documentos inúmeras vezes, ficou claro para mim que Conrad Murray repetidamente mentiu. No entanto,o que era irrelevante para o meu testemunho, e assim eu adequadamente mantive essa opinião para mim mesmo. Gostei de ouvir o juiz, que é mais capaz de julgar a veracidade de Murray do que eu,exclui o padrão de auto-serviço de mentiras de Conrad Murray.

    MJJC: Acha que Murray fez um 'erro fatal', ou acha que foi algo mais?

    Dr.Steve Shafer:O erro fatal,foi dizer "sim" ao pedido de Michael Jackson ,ter um medico para lhe administrar propofol.Isso foi seguido por inúmeros outros erros fatais, mas todos os traços de volta para a falta inicial de julgamento.

    MJJC: Acredita que Murray teve a pena adequada de homicídio, ou acredita que o qu ele fez foi muito mais grave que deveria ter sido algo como homicidio em 2º grau?

    Dr. Steve Shafer: Eu não estou qualificado para julgar isso, e estou muito contente por não terem solicitado um parecer sobre isso durante o meu testemunho. Estou feliz que tenha sido considerado culpado. Isso foi importante: os médicos são responsáveis ​​por suas ações. Nós não estamos acima da lei.

    Eu só dei uma entrevista na televisão após o julgamento, porque tinha que dar um curso (www.nonmemcourse.com) imediatamente após o julgamento. Perguntaram-me o que eu pensava sobre o fato de que a sentença pior possível foi de 4 anos de prisão. Eu respondi que não estava qualificado para emitir um parecer. Acho que queriam uma resposta muito mais sedenta de sangue, porque nunca transmitiram a entrevista.

    MJJC: Que tipo de pena seria adequada na sua opinião pessoal?

    Dr. Steve Shafer: Sublinhando que esta é apenas a minha opinião pessoal desinformada, eu acredito que deve perder sua licença, nunca mais praticar medicina, e prestar contas à família Jackson. Por favor, deixe-me enfatizar novamente que a punição penal não é algo que eu saiba.

    MJJC: Em suas considerações finais Ed Chernoff afirmou mais uma vez que "a falta de manutenção de registos não matou Michael Jackson". Acha isso um pressuposto particularmente irresponsável, especialmente à luz da sua explicação longa e detalhada de Farmacocinética e Farmacodinâmica? Seria argumento de Ed Chernoff de fechamento, ser especialmente irresponsável e ultrajante-considerando que o médico assumiu não manter todos os registos?

    Dr. Steve Shafer: A declaração de Sr. Chernoff é falsa. A falta de manutenção de registos contribuíu para a morte de Michael Jackson. Sem registos, Conrad Murray não conseguia saber as tendências, como saber se seriam necessarias doses maiores,dia a dia. Sem registos, Conrad Murray não conseguia olhar para doses passadas, para determinar o que era uma dose segura, e o que era uma dose perigosa.

    Manutenção de registos reforça vigilância. Quando se anota os sinais vitais a cada 5 minutos, força-nos a manter um olho sobre o paciente.A Manutenção de registos teria forçado Conrad Murray a ficar perto de Michael Jackson, e continuamente anotar os sinais vitais (no mínimo ele tinha o oxímetro de pulso no dedo e podia contar fisicamente o ritmo da respiração e a freqüência cardíaca). A Manutenção de registos teria forçado Conrad Murray a monitorizar a taxa de infusão intravenosa. A Manutenção de registos poderia ter mantido Michael Jackson vivo. Assim, a declaração do Sr. Chernoff é falsa.

    MJJC: Muitas hipérboles tem sido feitas sobre a tubulação IV / correspondência sim / correspondência não.Poderia explicar em detalhes mais uma vez (sem advogado de defesa interrompendo) porque este não tem qualquer influência sobre as declarações feitas por si?

    Dr. Steve Shafer: inicialmente eu acreditava que a tubulação IV que Conrad Murray adquiriu em grandes quantidades a partir de Sea Coast Medical, foram sem ventilação, porque não vi o respiradouro na foto tirada pelo médico legista, nenhum respiradouro é descrito na descrição do produto da Sea Coast Medical, e eu não tive sucesso no meu esforço inicial para comprar o tubo da Sea Coast Medical. Acontece que foi ventilado, o que só percebi depois de ter fisicamente examinado os tubos em tribunal.

    No entanto, o fato de que o conjunto menor de infusão foi ventilad,o apenas aumenta a facilidade com que Conrad Murray configurou a infusão, e a facilidade de ocultar o conjunto de tubos no dia em que Michael Jackson morreu.

    Porem tudo gira em torno do facto de que Conrad Murray estava a dar a Michael Jackson um anestésico em seu quarto com formação inadequada,com falta de fiscalização, e sem backup. É por isso que Michael Jackson morreu. Nenhuma dessas questões muda o panorama geral.
    MJJCommunity - Michael Jackson Community
    Loyally honouring Michael Jackson since 2001
    Have a question or query by all means give us a shout contact@mjjcommunity.com

  3. #18
    Points: 6,225, Level: 51
    Level completed: 38%, Points required for next Level: 125
    Overall activity: 0%
    Achievements:
    Tagger Second ClassVeteran5000 Experience Points
    MJJCommunity's Avatar
    Join Date
    Jan 2001
    Posts
    86
    Points
    6,225
    Level
    51
    Thanks
    1
    Thanked 166 Times in 28 Posts

    Default Re: MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer - Read his answers

    MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer Part 2/Exclusivo MJJC Q&A com Dr Steve Shaver,2ª Parte:

    Esta é a segunda parte de 3,das respostas do Dr Shafers,ás pergntas feitas pelo MJJcommunity.
    Nesta parte,Dr Shafer ira responder a perguntas sobre o Dr paul White,Conrad murray,e a morte de Michael Jackson.

    Questões sobre Dr. White:

    http://i42.tinypic.com/ormcyr.jpg

    MJJC: Ao assistir ao julgamento,sentia-se como se houvesse uma certa animosidade,ou afastamento entre o Dr e Dr White,estamos correctos sobre isso? Se sim este afastamento deveu-se aos acontecimentos do julgamento ou há uma história para isso?

    Dr. Steve Shafer: Paul tem sido um amigo de quase três décadas. The Paul White que viu na televisão não era o Paul White que conheço desde a faculdade de medicina. Ele fez muitas contribuições para a nossa especialidade. É minha esperança que suas contribuições sejam o seu legado permanente, não sua defesa de Conrad Murray.

    Paul tem sido um mentor acarinhado desde que eu era estudante de medicina. Eu não era seu "aluno", como afirmou Chernoff, e eu não aprecio a implicação de que Paul me ensinou o que eu sabia sobre o propofol. No entanto, Paul deu-me conselhos sobre tudo, desde a faculdade de medicina, a romance. Eu estava á espera que Chernoff perguntasse "não Dr. White foi um mentor para Si?" Eu estava pronto para dizer "sim".

    MJJC: O que achou do depoimento de Dr. White e seu comportamento?STerá algo que Dr White tenha dito,o fazer mudar de opinião sore o seu colega?Ficou surpreso com as coisas que disse e coisas que fez (como seus comentários para os media) ou deixou de fazer (como não fazer os seus próprio gráficos, não fiscalizar o experimento Beagle)?

    Dr. Steve Shafer: Houve erros factuais no testemunho de Paul. Paul é portador de bolsa de estudos pendentes. Eu não sei a dinâmica do seu relacionamento com a equipa de defesa que o levou a não fazer o trabalho pesado que geralmente faz quando se trata de verificar a literatura. Eu gostaria que ele me tivesse contactado com antecedência.Teria ficado feliz em ajudá-lo na revisão da literatura e explicar a ciência.

    As diferentes abordagens da ciência e da lei para discernir a verdade falharam a Paulo. Se isto tivesse sido uma discussão sobre um manuscrito científico, Paul e eu teriamos falado diretamente, sem advogados, tentando desacreditar qualquer um de nós. Teríamos alinhado papéis, e argumentos, e enviado por e-mail, ou talvez num almoço maia prolongado num dos nossos restaurantes mexicanos favoritos,Que teria funcionado, e a ciência estaria certo (pelo menos como "direito" como podemos obtê-lo). Não haveria consequências adversas para qualquer um de nós. Como os cientistas a colaborar para "acertar" teríamos feito bem. O sistema de justiça criminal não é configurado para permitir que os cientistas representando lados opostos para colaborar num esforço para encontrar a verdade.

    MJJC: Ainda é amigo de Dr. White?

    Dr. Steve Shafer: Pode haver alguns recentimentos, mas vamos ultrapassar isso. Temos muita história em comum.

    MJJC: Trabalhou com o Dr. White e são / amigos. Então, como é possível ter duas opiniões completamente diferentes sobre o que aconteceu na noite de 25 de junho de 2009 a partir de duas pessoas próximas?

    Dr. Steve Shafer: Paul White admitiu no tribunal que so considerou os cenarios de auto-injecção. Este limitou severamente os cenários que considerou.

    MJJC: O que acha do seu colega Dr. White sair do seu caminho para justificar as ações de Conrad Murray, do ponto de vista médico?

    Dr. Steve Shafer: Não entendo nada disso.


    Perguntas sobre Dr. Murray:


    MJJC: Não se referiu propositadamente a Conrad Murray como médico, durante seu testemunho? Já ouviu nas notícias como isso o deixou furioso?

    Dr. Steve Shafer: Eu não estava ciente disso. Seria o oposto de mim referir-se a ele como "Mr. Murray ", como é meu hábito,sou respeitoso.Provavelmente referi-me a ele simplesmente como "Conrad Murray". Se nunca disse "Dr. Conrad Murray ", então este é realmente uma falha Froidiana. Eu não o vejo como um médico.

    MJJC: Os espectadores em casa podiam ver Murray perder a paciência quando começou a demonstração IV, notou esse temeperamento onde estava posicionado no tribunal?

    Dr. Steve Shafer: Li sobre isso, mas pessoalmente não o observei.Estava focado no júri.

    MJJC: Em caso afirmativo,estava com medo do que Murray pudesse fazer (ou seja, achou que havia uma possibilidade de ele o atacar fisicamente)?

    Dr. Steve Shafer: Nem um pouco.

    MJJC: Quais são seus pensamentos sobre Murray como médico?

    Dr. Steve Shafer: Eu acredito que ele violou a confiança fundamental entre médicos e pacientes, e que o fez,não num acto isolado sob coação, mas intencionalmente e repetidamente. Isso não é algo que um médico faria.

    MJJC: Já ouviu falar e / ou assistiu ao documentário Conrad Murray?

    Dr. Steve Shafer: Não,só ouvi falar dele.

    MJJC: Em caso afirmativo quais são seus pensamentos sobre isso. Sente que a sua participação neste documentário ainda comprova a falta de Murray de ética profissional e um candidato inadequado para a profissão médica?

    Dr. Steve Shafer: Não posso imaginar porque ele iria participar de um documentário que seria exibido antes da sentença. Evidentemente, eles filmaram a tomada de posse dos advogados para o outro, com Paul White e Conrad Murray num sofá na casa de Flanagan. Parece temerário para todos os envolvidos.


    Questões sobre o papel do Propofol na morte de Michael Jackson:

    http://i39.tinypic.com/2jcaopc.jpg


    MJJC: Com base em tudo o que sabe, o que acha que aconteceu a 25 de junho de 2009?

    Dr. Steve Shafer: Michael Jackson morreu de paragem respiratória (sua respiração parou) ao receber propofol, exatamente como o médico legista relatou. Houve uma contribuição do lorazepam, também conforme relatado pelo médico legista. O legista acertou.

    MJJC: Está convencido de que MJ estava em gotejamento naquela noite?

    Dr. Steve Shafer: Estou completamente convencido. Murray admitiu ter usado uma gota a cada noite. Ele disse que estava a tentar desmamar Michael Jackson. Eu não acredito nele. Os níveis de propofol na urina sugerem doses maciças, mais de 2000 mg, como expliquei no meu testemunho de refutação. Os níveis de sangue mostram concentrações de anestésico propofol. Tudo se encaixa com uma infusão (gotejamento).

    MJJC: Se desconsiderarmos a entrevista de Murray com a polícia, na sua opinião profissional, ha quanto tempo teria MJ morrido, antes de Murray finalmente o encontrar? Alguns especialistas estão sob a impressão de que a demora em chamar 911 só pode ser explicada por ele saber que MJ já estava morto.

    Dr. Steve Shafer: Eu acho que ele já estava morto, mas que é especulação. Eu não acredito em nada que Conrad Murray diz, e não há registos. Meu palpite de que ele estava morto é baseado na janela limitada entre a respiração parando e a morte (10-20 minutos). Murray teria que observá-lo nessa janela para ter uma hipotese de reanima-lo.

    MJJC: Existem alguns rumores de que Michael realmente comeu uma refeição na noite em que morreu nos chamados "cuidados" de Murray.Acha que Michael estava em jejum durante o tempo necessário? Ou foi mais um desvio do padrão de atendimento por Murray? Quais são seus pensamentos sobre isso?

    Dr. Steve Shafer: Não estou ciente de quaisquer dados sugerindo que Michael Jackson jejuou. Não vem em qualquer lugar do registo. Meu palpite é que ele comeu, porque ele estaria provavelmente com fome depois de um ensaio vigoroso.

    MJJC: O que você acha do 19 de junho (e-mail de Kenny Ortega descrevendo que Michael tem calafrios, e parece perdido), e 21 de junho? (sintomas em que sente parte quente e parte frio descrita por Cherylin Lee). O que poderiam causar esses sintomas?

    Dr. Steve Shafer: É difícil saber. A defesa propôs que esses sintomas poderiam ser devido á retirada do Demerol, e está correto. Também pode ser da retirada do lorazepam. Interrupção do propofol não foi descrita, porque ninguém, a não ser Michael Jackson recebeu propofol noite após noite para tratar insónia. No entanto, pelo menos em teoria,poderia ser da retirada do propofol.
    No entanto,também poderia ser o tipo usual de doença: "problemas de estômago" ou uma gripe. Não há nenhuma maneira de saber.

    MJJC: Tem alguma opinião sobre 23 e 24 de junho,quando Michael parecia ssentir-se muito bem? O que poderia quer dizer esta melhoria?

    Dr. Steve Shafer: Não sei. Após o julgamento assisti a "This is It". Havia excitação evidente e exuberância quando os ensaios se foram aproximando do fim, e quando a tornée se estava a aproximar. Poderia ser simplesmente emoção e exuberância na expectativa da tornée.

    MJJC: Não se surpreenderam por MJ não ter morrido mais cedo do que 25 de junho, depois de descobrir que Murray administrou Propofol a MJ,sem equipamento adequado para dois meses (de acordo com Murray), antes da sua morte?

    Dr. Steve Shafer: Sim. Eu Acho que é bastante surpreendente. Não sabemos se houve alguns indicios antes, porque não existem registos.

    MJJC: A gravação de áudio de Michael,em Maio de 2009, em que ele arrastava as palavras atraiu muita atenção. Numa entrevista,o Dr. Murray disse que Michael estava sob a influência de Propofol durante essa gravação. No entanto, algumas pessoas dizem que Propofol não causa lentidão na fala. O que você acha dessa gravação? Alguma idéia se as drogas podem causar esse tipo de discurso?

    Dr. Steve Shafer: sedativos causam fala arrastada. Isto poderia ter sido causado por lorazepam, midazolam ou propofol.

    MJJC: Acha que havia uma hipotese de Michael voltar a ter uma boa saúde e continuar a vida normal, após a tão longa paragem respiratória, mesmo que os paramédicos o reanimassem?

    Dr. Steve Shafer: Definitivamente, sim se tivessem chegado a tempo.
    MJJC: Esta é uma pergunta difícil, mas temos de perguntar. Quando há overdose de Propofol e se morte, como aconteceu com Michael, a pessoa sofre? Sentem dor? Ou é como morrer durante o sono?Não sente nada?

    Dr. Steve Shafer: É uma pergunta fácil de responder: não há sofrimento com uma overdose de propofol. A pessoa adormece rapidamente e confortavelmente. O cérebro está profundamente deprimido, e o cérebro nunca retorna à consciência.

    MJJC: Se Michael tivesse sido seu paciente e lhe pedisse Propofol para conseguir dormir, como reagiria? O que surgiria?Teria recomendado que consultasse um especialista do sono?

    Dr. Steve Shafer: Absolutamente.Essa a verdadeira questão! Eu o teria encaminhado para um especialista do sono. Ele tinha um distúrbio do sono muito grave que estava a ameaçar sua tournée, sua capacidade de actuar, a sua capacidade de criar música, e, potencialmente, a sua vida. Ele precisava de cuidados urgentes de alguém que sabe o que ele ou ela está a fazer.

    MJJC: Sabe quais os efeitos a longo prazo do uso de Propofol? Murray indicou que MJ estava a usar Propofol há 6 semanas, aparentemente para dormir oito horas ou mais por noite.Já leu sobre estudos de casos de pacientes que faziam isso ou, como foi apresentado no julgamento, foi uma experiência em MJ?

    Dr. Steve Shafer: Esta foi uma experiência. Eu não acho que qualquer outro paciente, em qualquer parte do mundo tenha recebido este tratamento. Pode haver efeitos a longo prazo - é uma questão que não pode ser respondida sem pesquisa clínica. Eu não sei quais os efeitos a esperar, mas parece provável que a tolerância e dependência se desenvolveriam.

    MJJC: E mesmo prazos mais longos, como meses ou mesmo anos, de sedação profunda de Propofol, poderiam afetar a saúde humana de qualquer órgão? É possível tomar Propofol por um longo tempo e não ter qualquer efeito negativo colateral associado?

    Dr. Steve Shafer: Nós não sabemos - Não foram feitos estudos.

    MJJC: Pode não haver informação suficiente para ter uma imagem clara do que estava a acontecer, mas nós gostaríamos de saber sua opinião sobre o que Murray receitou a Michael (no final de 2006), as quantidades de lorazepam, midazolam e flumazenil que Murray comprou, e as possíveis consequências de tal tratamento.

    Dr. Steve Shafer: Eu não tenho certeza de que quantidades se está a referir. Estou ciente das drogas que Murray adquiriu em 2009, mas eu não revi seu tratamento anterior de Michael Jackson, porque não está directamente relacionado com as perguntas que estava a tentar responder no julgamento.

    MJJC: De acordo com sua entrevista na polícia, parece que Murray sabia que não devia misturar Lorazepam e Propofol, por isso estamos confusos sobre o seu uso em conjunto. Porque razão Dr. Murray os iria misturar?

    Dr. Steve Shafer: Não há nada de errado em dar lorazepam e propofol mais ou menos ao mesmo tempo. Anestesistas rotineiramente dão midazolam no início de um anestésico, e propofol, poucos minutos depois. Midazolam e lorazepam estão intimamente relacionados. Você apenas tem que saber que os efeitos são "sinérgicos", significando que precisa reduzir a dose de propofol quando se dá muitos comprimidos de midazolam ou lorazepam.

    MJJC: Tem alguma idéia sobre quanto lorazepam lhe foi dado,e quando?

    Dr.Steve Shafer:Sim,ele deu muitos.Os níveis de lorazepam no sangue eram altos o suficiente para contribuir para a causa de morte, como se afirma no relatório do legista, e como enfatizado pela defesa. Exactidão como pela defesa, a concentração de lorazepam no seu sangue era suficiente para colocar a maioria de nós a dormir. Havia 8,4 miligramas de lorazepam na sua urina de autópsia, e 5,8 miligramas de lorazepam na urina que foi recuperada na cena do crime, que presumivelmente era da mesma noite. Assim, Michael Jackson recebeu um lote de lorazepam. No entanto, porque não há registos, e eu não confiar no que diz Conrad Murray,é difícil ser mais preciso.

    MJJC: Dr Kamangar disse que a dependência seria mais rápida se benzos foram recebidos por IV.Terá sido este um "tratamento" que o terá tornado altamente dependente de benzodiazepínicos? Se Michael tivesse sobrevivido,teria sido capaz de recuperar?

    Dr. Steve Shafer: Sim para ambas as perguntas. O Uso de drogas intravenosas normalmente resulta em dependência mais rápida. Independentemente do grau de dependência, pode-se recuperar com tratamento adequado. O grande problema para Michael Jackson teria sido saber se ele estaria disposto a ficar longe de sedativos por via intravenosa para o resto da sua vida. Sem uma mudança nas prioridades de vida, muitas vezes é muito difícil desacostumar indivíduos que são dependentes de drogas.

    MJJC: Depois de passar o que devem ter sido horas a ler a declaração de Murray á polícia,mais a prova em si, sentiu-se chocado com os resultados que foram surgindo com a quantidade de propofol que tinha sido dada por Murray para obter os resultados encontrados feitos ao sangue na autópsia?E da tentativa frustrada de Murray de criar a sua própria Galeria Tate de Arte Moderna de gotejamento, etc?

    Dr. Steve Shafer: Desde que Conrad Murray encomendou quantidades assombrosas de propofol para dar a Michael Jackson e Michael Jackson tinha uma concentração anestésica de propofol em seu sangue, eu esperei as simulações para confirmar que ele recebeu quantidades de anestésico propofol. E foram feitas.

    MJJC: Durante o seu testemunho,afirmou que MJ primeiro teve uma paragem respiratória e uma paragem cardíaca. Dr.Steinberg também testemunhou de forma semelhante com base em palavras do próprio Murray (que havia pressão coração bater / sangue quando encontrou Michael). Vimos a defesa argumentar que poderia ter sido uma paragem cardíaca ao invés de paragem respiratória em primeiro lugar. Mesmo no documentário de Murray,mostraram uma cena entre os advogados de defesa que pretendia perguntar-lhe se era possivel uma paragem cardíaca direta, mas depois decidi não fazer essa pergunta,pois estavam com medo da sua possível resposta. Pode falar um pouco mais sobre isso?

    Dr.Steve Shafer:Não consigo encontrar nenhuma evidência de que o cenário descrito pela defesa,paragem cardiaca isntantânea em 90 segundos,tenha ocorrido.Eu passei horas à procura de tais evidências, incluindo a literatura médica e comunicar com funcionários da empresa que rastreou o propofol para eventos adversos. A meu conhecimento isso nunca foi relatado. Nem sequer uma vez.
    Também não acredito que algum anestesista tenha visto isso.Não há nenhum mecanismo pelo qual o lorazepam e propofol possam agir em conjunto para causar morte instantânea. Se o juiz tivesse permitido, eu acredito que o julgamento poderia ter sido prorrogado por vários anos enquanto cada anestesista nos Estados Unidos levava testemunhas para depor que esse cenário era falso.
    Considere o absurdo que é afirmar que 25 miligramas injetadas no espaço de 4 minutos foi tão segura que a monotorização quase não foi exigida, enquanto a mesma dose injetada 1 minuto mais tarde, foi tão tóxico que pôde causar morte instantânea como que por magia! Não faz sentido.

    De todas as deturpações da defesa,a afirmação da morte instantanêa causada por uma pequena dose de propofol é o mais prejudicial para os pacientes. É falsa. Afirmar morte cardíaca instantânea causada por uma pequena dose de propofol só pode causar um aumento da ansiedade nos pacientes que necessitam de sedação e anestesia.

    MJJC: Até onde podemos compreender a partir da linha de questões e da Defesa de Dr. White,a teoria da defesa,os testemunhos do que aconteceu em 25 de junho de 2009 é a seguinte: Murray deu a MJ um Valium e depois 2 doses de Lorazepam, mais 2 doses de Midazolam. Como MJ continuava incapaz de dormir, Murray deu-lhe um bolus de 25mg de propofol. Durante a noite / dia (não sabebem quando), MJ engoliu 8 comprimidos de Lorazepam,facto este desconhecido para Dr. Murray. MJ andava ás voltas no quarto, embora tivesse uma IV e um cateter com preservativo, bem como todos os restantes medicamentos, auto-injetou uma seringa já preparada que tinha 25mg de propofol. O que pode dizer sobre a versão da Defesa sobre os acontecimentos?

    Dr. Steve Shafer: O ponto principal é que não importa. Michael Jackson estaria vivo se Conrad Murray não tinha cometido várias violações flagrantes e inescrupulosas do padrão de atendimento. Ele administrou uma anestesia geral a Michael Jackson, no seu quarto, sem nenhuma experiencia,sem backup de monotorização,e abandonou o seu paciente. Quando voltou, o paciente estava morto, ou quase. Os factos falam por si.

    Sabemos que Michael Jackson recebeu um lote de lorazepam. Talvez tenha tomado comprimidos. Talvez Conrad Murray lhe tenha dado mais do que por via intravenosa,do que admitiu.O que sabemos é que não havia suficiente lorazepam não metabolizado no estómago de Michael Jackson para sugerir a ingestão recente. Sabemos que não havia provas na sala de grandes doses de propofol ter sido por administração intravenosa. Nós sabemos que a quantidade de propofol inalterada na urina sugere a administração de mais de 1000 mg (100 ml) de propofol. Assim, o cenário de defesa não é consistente com os dados físicos ou autópsia para qualquer medicamento, lorazepam ou propofol.

    MJJC: Dr. Shafer,disse no julgamento que, provavelmente, no momento da morte o gotejamento ainda estava ligado e isso explicaria porque a concentração de propofol no sangue femoral estava tão alta. Mas Dr. White disse que iria duvidar que o propofol ainda podia estar a ser injectada, uma vez que a circulação sanguinia parou.Poderia explicar melhor,por favor?

    Dr. Steve Shafer: Afirmei que Michael Jackson morreu durante a infusão,e foi por isso que a concentração sanguínea estava tão alta.MJ não teve que morrer no final da infusão, e não há razão para pensarnisso.Simplesmente morreu durante a infusão. A garrafa de 100 ml propofol estava vazia, eu acho que MJ morreu antes da garrafa ficar vazia, mas no momento em que Conrad Murray encontrou MJ, a garrafa tinha acabado também.
    Fiquei surpreso que a defesa alegou que as minhas simulações afirmam que Michal Jackson morreu no final da infusão. Não havia tal exigência. Fiquei decepcionado com Paul White,que concordou com isso.

    MJJC: Em caso de ter havido paragem cardíaca inicialmente e não posteriormente apoós paragem respiratória como Murray disse à polícia,a paragem cardíaca pode ter sido causada por uma dose elevada / dada de forma rápida de gotejamento,já que não havia bomba de infusão para regular a taxa do gotejamento?

    Dr. Steve Shafer: Não. O coração é um órgão muito fiável. Pode parar de repente, mas não por qualquer coisa que o propofol faz. O que faz o coração parar abruptamente é: 1) uma arritmia, tipica de um ataque cardíaco agudo, 2) algo que bloqueia completamente a circulação, como a injeção de uma dose grande de ar, ou um coágulo de sangue nas pernas que, de repente bloqueia o fluxo nos pulmões, 3) a administração de uma grande dose de potássio intravenoso, o que interfere na atividade elétrica do coração.O Propofol vai fazer parar de respirar, e a pressão arterial cai. Nenhuma dessas fará com que o coração pare abruptamente. Tanto quanto posso dizer, nunca ninguém viu o coração de um paciente parar de repente a partir de qualquer dose de propofol.

    MJJC: De acordo com palavras de Walgren durante os argumentos finais: "não sei se Michael acordou, gritou por ajuda e se engasgou enquanto Conrad Murray não estava em seu quarto, e nós nunca saberemos", o testemunho de Alberto Alvarez refere que os de Michael e a boca estavam abertos, dai eu pergunto: poderia Michael sofrer antes da morte?poderia ter gritado por ajuda e se engasgado enquanto morria? se não, porque seus olhos e boca estavam abertos se morreu enquanto dormia?

    Dr. Steve Shafer: Michael Jackson não sofreu. Morreu porque parou de respirar. Estava inconsciente no momento. Se estivesse consciente,teria respirado.

    Não significa nada se os olhos ou a boca de um paciente estão abertos ou fechados após a morte. Testemunhei a morte do meu próprio pai durante o tempo que estava a testemunhar. Estava na sua cabeceira. Ele perdeu e recuperou a consciência por cerca de duas horas antes de sua morte. Minha última mensagem dele,foi um sinal de "OK" com a mão, cerca de uma hora antes da sua morte. Depois quando morreu, notei que os seus olhos e que a boca estava aberta. Fechei-os.
    MJJCommunity - Michael Jackson Community
    Loyally honouring Michael Jackson since 2001
    Have a question or query by all means give us a shout contact@mjjcommunity.com

  4. #19
    Points: 6,225, Level: 51
    Level completed: 38%, Points required for next Level: 125
    Overall activity: 0%
    Achievements:
    Tagger Second ClassVeteran5000 Experience Points
    MJJCommunity's Avatar
    Join Date
    Jan 2001
    Posts
    86
    Points
    6,225
    Level
    51
    Thanks
    1
    Thanked 166 Times in 28 Posts

    Default Re: MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer - Read his answers

    MJJC Exclusive Q&A with Dr. Steve Shafer Part 3/Exclusivo MJJC Q&A com Dr Steve Shaver,3ª Parte

    Esta é a parte 3 de 3 das respostas de Dr Shafer,ás perguntas da MJJCommunity.
    Nesta parte,Dr Shafer irá responder a perguntas sobre Propofol,Lorazepam,Flumanezil e insonia.

    http://i43.tinypic.com/21l0klg.jpg

    Perguntas sobre propofol em geral:

    MJJC: Sente que o seu testemunho ajudou a aliviar as preocupações de possiveis pacientes sobre o Propofol ou as coisas continuam mais ou menos na mesma?

    Dr. Steve Shafer: Pode ter ajudado, mas sóum pouco. Na sexta-feira que Paul White testemunhou,eu estava a trabalhar no "Allen Pavilion", um hospital regional gerido pela Columbia University, que serve uma área de baixos rendimentos de Manhattan e Bronx. Eu estava a cuidar de um homem idoso que perguntou o que iria anestesiar. Eu disse-lhe "propofol". Como normalmente acontece, ele perguntou se essa não tinha sido a droga que matou Michael Jackson. Eu respondi-lhe que o propofol não matou Michael Jackson, Conrad Murray matou Michael Jackson. Eu também disse que o propofol é droga muito segura. Ele disse: "Eu ouvi o que o médico disse na televisão, mas não acredito nele."

    Eu disse-lhe que era o médico que viu na televisão. Ele pensou que era hilariante: o médico e que usa luvas azuis,chapéus cirúrgicos, com um estetoscópio no pescoço que trabalha nesta clínica para pacientes pobres, pode ser o médico "famoso" que eviu na televisão. "Sim, certo", foi sua resposta. Ele não acreditou em mim por um segundo. No entanto, foi tranquilizado pela minha "piada" sobre ser o médico que viu na televisão, e tudo correu bem.

    MJJC: Uma pessoa pode-se tornar dependente ou viciado em propofol? Se sim que tipo de dependência é: física ou psicológica?

    Dr. Steve Shafer: Não há muitos dados sobre isso, porque propofol deve ser administrado por via intravenosa, e ele realmente queima, o que desestimula abusos. No entanto, tem havido um número de mortes de anestesistas e outros profissionais de saúde por abuso de propofol. Com base nisso, estou razoavelmente confiante de que é viciante.

    MJJC: Porque iria alguem ainda pensar em usar Propofol como sendo emdicamento para ajudar a dormir? Se é para ser usada apenas em cirurgia, então porque alguém o iria sugerir,dando-lhe a alguém para dormir um pouco?

    Dr. Steve Shafer: O mecanismo de ação do propofol é o mesmo que de medicamentos como o Ambien que são comumente usados ​​para induzir o sono. Esta é uma questão de pesquisa razoável. No entanto, nunca deve ser colocado em prática até que tenha sido estudado num ambiente de pesquisa adequado. Depois que o trabalho tenha sido feito,só deve ser usado com documentação adequada e precaução.

    MJJC: Estarão as empresas farmacêuticas que fazem o Propofol a pensar em fazer testes para se usar Propofol como sendo um medicamento para dormir?Acha que haverá mais estudos sobre o Propofol como podendo ser um medicamento usado para dormir?

    Dr. Steve Shafer: Sim a ambas as perguntas.

    MJJC: Quais são os efeitos conhecidos sobre o sistema nervoso e do cérebro com o uso de Propofol a longo prazo?

    Dr. Steve Shafer: Não muito, porque é raramente usado para uso a longo prazo. Consegui encontrar um relatório de um paciente que recebeu propofol na unidade de terapia intensiva por 51 dias. Esta é a conclusão feita a partir desse artigo: "Para nosso conhecimento, este relatório representa a primeira documentação de uso do propofol para sedação prolongada numa paciente gravida, ventilada mecanicamente,e a mais longa duração de propofol em infusão contínua, publicados na literatura médica. Propofol foi usado por 51 dias sem documentação sobre possiveis efeitos adversos namaternidade."(Tajchman SK, Bruno JJ usou propofolde forma prolongada num paciente em estado crítico e grávida, Ann Pharmacother 2010;... 44:2018-22).

    Este paciente fes o desmame de propofol durante vários dias sem consequências adversas. Assim, a administração de dois meses parece não ter consequências a longo prazo, pelo menos, com base neste exemplo, e o fato é que Michael Jackson continuou a funcionar nos ensaios. No entanto, esses são apenas dois pontos de referencia. Mais pesquisa precisa ser feita,caso se pense em usar propofol a longo prazo.

    MJJC: Será que se consegue obter um "sono reparador" de Propofol? Ouvimos especialistas contradizerem-se uns aos outros sobre isso.

    Dr. Steve Shafer: A contradição reflete o estado da ciência. Recebi propofol como anestesia ha cerca de um ano atrás, e tenho dado propofol a milhares de pacientes. Muitas vezes há uma sensação de ter dormido bem após o despertar de propofol.

    No entanto, estudos sugerem que o sono do propofol é muito diferente do sono normal, e não é "reparador". Como tem o sono normal. Por exemplo, os sonhos são importantes na função cerebral. Os Pacientes não sonham com propofol, exceto no momento do despertar. Minha interpretação dos dados é que o propofol pode ser OK para fazer um paciente dormir, mas que a manutenção de um paciente em propofol a dormir (como às vezes fazemos em unidades de terapia intensiva), provavelmente está a negar aos pacientes um sono reparador.

    MJJC: Concorda que o Propofol deve ser re-classificado como uma substância controlada?

    Dr. Steve Shafer: Não. Eu acho que isso vai prejudicar os pacientes. Em caso de emergência precisamos de propofol imediatamente, e em grandes quantidades. Sou contra a colocação de obstáculos no caminho dos médicos que cuidam de pacientes, a menos que haja um benefício claro. Conrad Murray poderia ter adquirido propofol para Michael Jackson, porque os médicos podem pedir substâncias controladas. Uma vez que o abuso de propofol é por médicos, torna-lo controlado não vai limitar a capacidade dos médicos para abusar.Só vai prejudicar a sua capacidade de cuidar de pacientes de emergência.
    Isto tem sido objecto de uma questão de Anesthesia & Analgesia. Aqui esta a noticia sobre essa questão: http://www.aaeditor.org/HWP/Covers/0710.cover.jpg.

    MJJC: Acha que agora a comunidade de anestesiologia será mais cuidadosa na forma como irá promover e ensinar a usar Propofol?

    Dr. Steve Shafer: Nós levamos isto muito a sério. Estamos muito envolvidos no ensino do uso seguro de sedativos aos nossos colegas médicos. Isso vai continuar. Talvez eles sejam mais receptivos para a importância da sedação segura.Contudo,não ha nada que possamos fazer a um medico que não tenha como prioridade os pacientes.

    MJJC: Acha que a comunidade médica tem aprendido com a morte de Michael em relação á longa prescrição dada a uma pessoa poderosa,e famosa,bem como a atitude errada de seu médico?

    Dr. Steve Shafer: Absolutamente. Mencionei isso acima. Estou ciente deste porque ocasionalmente verifico isso na minha prática.Os Médicos atendem os pacientes, agindo como médicos. Esta é uma mensagem para os médicos e pacientes.

    MJJC: Pode explicar o que é "Propofol lollipop" melhor?

    Dr. Steve Shafer: Propofol absorvido pelo estómago nunca atinge o cérebro, porque tudo é removido pelo fígado. No entanto, o fornecimento de sangue na boca e no esofago (acima do diafragma), não retorna diretamente para o fígado. Em vez disso, só vai para o coração, e de lá vai para todo o corpo humano,incluindo o cérebro. Então, um "shot" de propofol levaria propofol para o sangue venoso, e de lá para o cérebro. Paul White e eu falamos disso num dos intervalos antes do seu testemunho. É uma idéia razoável, desde que a dose seja adequadamente controlada.

    Se alguma vez propofol se tornar disponível, então terei de reconsiderar a minha posição na classificação do propofol como uma substância controlada. Minha visão atual é altamente influenciada pelo fato de que propofol só funciona quando administrado por via intravenosa, e que realmente queima!

    MJJC: A que sabe o Propofol?

    Dr. Steve Shafer: Tem a consistência de leite desnatado, e tem gosto de uma salada muito medicinal.

    MJJC: Experiência "Beagle" de Propofol feita pela Defesa deixouPETA e os fãs de MJ irritados.Nós não esperamos que tenha qualquer informação direta sobre a experiencia Beagle, mas como os seres humanos não foram afetados pelo Propofolque beberam, é seguro assumir que os Beagles saíram ilesos,?

    Dr. Steve Shafer: Eu acho que é muito improvável que algum mal acontecesse aos beagles. Não deve haver efeitos a partir do propofol bebido. No entanto, estou desconfortável com o protocolo experimental, nem os resultados da experiencia foram apresentados no tribunal. Acredito que quando os animais ou os seres humanos participam em estudos clínicos, não há uma obrigação ética de escrever e publicar as pesquisas para adicionar ao corpo de conhecimento. É um maior conhecimento que justifica moralmente a pesquisa. Escrevi o nosso estudo humano,pedi que publicassem,e pedi Paul White para o rever, e o dar á defesa. Eu acredito que eles deveriam ter feito o mesmo com seu estudo beagle.

    MJJC: Nós ouvimos a teoria de que alguns dos Benzos e / ou Propofol que foram dados a MJ por Murray, podem ser usados para pessoas com dependência de drogas para a perdero vício em drogas como o Demerol, Isso é verdade? Pode comentar sobre isso?

    Dr. Steve Shafer: Existe uma técnica de desintoxicação rápida que envolve a colocação de pacientes sob anestesia geral por um longo período de tempo, (horas ou dias), e farmacologicamente reverter opióides com "os antagonistas de opiáceos", drogas que bloqueiam os efeitos quimicos de Demerol e drogas similares. Isto é controverso, mas provavelmente funciona em alguns pacientes.


    Perguntas sobre Demerol:
    MJJC: A quantidade de Demerol que Dr. Klein deu a Michael era normal, ou foi uma dose muito grande?

    Dr. Steve Shafer: Não posso responder sem saber o porquê de dar Demerol.Dr. Klein não depôs no julgamento. Sinto-me desconfortável em dar qualquer opinião sem mais informações.

    MJJC: Sua resposta mudaria se considerasse,tivesse em conta, a história de MJ (vítima de queimadura) com a droga?Acha que foi excessivo?

    Dr. Steve Shafer: Mais uma vez, peço desculpa, mas não quero emitir uma opinião sem saber porque Dr. Klein estava a administrar Demerol. Isso provavelmente reflete o meu cuidado como um editor-chefe de uma revista médica. Editores médicos relutam em formar uma opinião pública a menos que estejam confiantes de que compreem os fatos.

    MJJC: Na sua opinião, o Demerol faz agravar a insônia como efeito colateral? Teve qualquer papel na saúde física e mental de Michael? Qual foi o melhor tratamento para a insónia de Michael?

    Dr. Steve Shafer: Colocou três perguntas... vou responde-las por ordem:

    o Nome do Demerol e seus produtos químicos nos Estados Unidos é "meperidina." Em muitos países, é conhecido como "petidina." Meperidina tem um metabólito, "normeperidina", que é um estimulante do sistema nervoso. Como um estimulante nervoso, eu esperaria que exacerbasse a insónia.

    O legista examinou o sangue e a urina para meperidina (Demerol) e normeperidina. Não pode ser detectada. Assim, a meperidina não desempenhou um papel direto na morte de Michael Jackson em 25 de junho. No entanto, fez-me uma pergunta mais geral sobre "ter um papel na saúde física e mental de Michael." É uma boa pergunta, e eu mais uma vez preciso pedir desculpa por não responder. Não li os registos médicos de Dr. Klein, nem ouvi uma explicação detalhada dos cuidados de Michael Jackson. Estou desconfortável em especular sem essa informação.

    Os Distúrbios do sono são complexos, e tratá-los é um ramo especializado da medicina. È meu entendimento que qualquer droga que afeta o nível de consciência, pode exacerbar distúrbios do sono. Há uma boa descrição dos distúrbios do sono, e tratamento de distúrbios do sono comum, em http://www.sleepfoundation.org/artic...s-and-insomnia.


    Perguntas sobre lorazepam, flumazenil, e efedrina:

    MJJC: Será que o lorazepam livre detectado no líquido gástrico,pode ser explicado pela hemorragia no estómago, causada pela tentativa de reanimação ou mesmo pela mistura acidental de sangue no momento da autópsia (como foi sugerido pelo médico legista, Dr. Rogers no ante projecto, embora não mencionado durante o julgamento)?

    Dr. Steve Shafer: Talvez. No entanto, lorazepam livre seria de esperar, simplesmente porque moléculas como lorazepam teriam de partir do sangue para chegar ao estómago, assim como se cruzarem em todos os orgãos. É assim que a lidocaína e o propofol entram no estómago. O Lorazepam comporta-se exatamente da mesma maneira.

    Além disso, o beta glucuronidase enzima é secretado pela parede do estómago para o líquido do mesmo. Glucuronidase Beta é a enzima que transformaria glicuronídeo lorazepam novamente em lorazepam. Então o sangue poderia absorve-lo, mas a maioria seria provávelmente uma simples difusão de lorazepam do sangue para o estómago.

    MJJC: Existe alguma outra razão para o flumazenil ser administrado,para além de reverter os efeitos de benzodiazepínicos (neste caso Lorazepam)?

    Dr. Steve Shafer: Não.

    MJJC: Será que faz algum sentido dar um Flumazenil a uma pessoa que de acordo com Dr. Murray só recebeu 4 mg de Lorazepam para começar?

    Dr. Steve Shafer: A parte mais crítica de qualquer ressuscitação é mover ar para dentro e para fora dos pulmões do paciente. O problema com flumazenil é que fez Conrad Murray distrair-se da tarefa crítica de movimento do ar entrando e saindo dos pulmões de Michael Jackson. Se houvesse várias pessoas que estivessem envolvidas na ressuscitação,mais tar dar flumazenil teria feito sentido. No entanto, como Conrad Murray estava sozinho, qualquer interrupção mais do que alguns segundos era muito longo.

    MJJC: Pode explicar sua consideração dos níveis de Lorazepam, com mais detalhes?

    Dr. Steve Shafer: Vou responder tão bem quanto posso, mas não sei exatamente o que quer saber. Os níveis de lorazepam foram altos. O suficiente para que você ou eu termos muito sono.No entanto, as patentes tornam-se tolerantes ao lorazepam,drogas,e afins (o "benzodiazepínicos").Como Michael Jackson tinha uma concentração bastante elevada, e de acordo com Conrad Murray, não era droga suficiente para induzir o sono.MJ deve ter tido tolerância.

    A defesa queria atribuir a morte de Michael Jackson, em parte,ao lorazepam oral. O problema com esta teoria é que havia uma quantidade minúscula de lorazepam no estómago de Michael Jackson. Para explicar esse montante minimo, a defesa alegou que Michael Jackson teria engolido lorazepam cerca de 5 horas antes da hora da morte. Se isso fosse verdade, então a concentração de lorazepam teria culminado com o tempo em que Conrad Murray afirma que Michael Jackson implorava por mais droga para adormecer. Então, esse argumento não faz sentido.

    MJJC: De acordo com o relatório da autópsia, não havia efedrina encontrada no corpo de Michael. É uma droga que agrava a insónia. Como actua efedrina com benzos e propofol?poderia subjugar efeito nessas drogas?

    Dr. Steve Shafer: Havia uma garrafa de cápsulas compostas de efedrina, cafeína e aspirina no quaro. A efedrina é usada às vezes em ressuscitação. Como não havia efedrina na urina de autopsia de Michael Jackson,bem como na urina de cena, eu diria que a efedrina foi por ingestão oral, e não administrada como parte da ressuscitação.

    A efedrina pode reduzir os efeitos do propofol e benzodiazepínicos sobre a pressão arterial e frequência cardíaca. Efedrina crónica pode agravar a insónia.


    Perguntas sobre investigação médica em geral:


    MJJC: Pastor Juiz referiu que Murray usou Michael Jackson como parte de uma "experiência científica". Isso poderia, infelizmente, dissuadir os doentes de se sentirem confortáveis,e participar em ensaios clínicos, bem como outros tipos de pesquisa científica e médica. Pode explicar a importante intersecção entre a pesquisa dos cientistas e a prática clínica dos médicos?

    Dr. Steve Shafer: Eu realizei dezenas de ensaios clínicos. Não acho que isso vai afetar o recrutamento de pacientes em ensaios clínicos, porque este "ensaio" não tem qualquer semelhança com um estudo científico. Acho que "experiência" é o termo exato, porque implica que Conrad Murray não tinha idéia do que iria encontrar, dia após dia da administração de propofol. Portanto, esta foi uma experiência que estava a conduzir todos os dias para ver como Michael Jackson iria responder. No entanto, não acho que ninguém iria confundir esta experiência com uma experiência científica adequada.

    A maior pergunta que me faz,é sobre a interseção entre a pesquisa e a prática. Esta é uma questão importante, e (felizmente) que tem sido tida em consideração.A resposta remonta ao Código de Nuremberg, que acompanhou o julgamento dos médicos nazistas, culpados de atrocidades no final da Segunda Guerra Mundial. Pode encontrar uma excelente conta no Wikipedia. Esta foi atualizada pelo Relatório Belmont, publicado em 1978. Novamente, há uma excelente conta no Wikipédia. Como explica o Relatório Belmont, "pesquisa" difere de prática clínica em que a investigação é uma investigação sistémica que pretende criar o conhecimento generalizado. "Sistemática" significa que o investigador reune intencionalmente dados para responder a uma pergunta. O conhecimento generalizado, significa que o investigador acredita que a informação recolhida é útil para os outros, e pretende "generalizar" o conhecimento, geralmente através da sua publicação. Se pesquisar no Google: "Anesthesia & Analgesia política na aprovação institucional revisão de conselho e consentimento informado para pesquisa", encontrará um editorial que escrevi em Março sobre o assunto.


    Perguntas sobre insónia:

    MJJC: Décadas de mentiras, calúnias, tratamento desumano por parte dos media, e conceitos errôneos do público causou imensa dor e angustia a Michael,que resultou em insónia. Sabemos que Propofol não era a solução, mas o que acha que deveria ter sido feito (medicamente) para a tratar?

    Dr. Steve Shafer: MJ deveria ter estado sob os cuidados de um médico especialista do sono. Tinha uma doença terrível, que exige cuidados especializados.

    MJJC: Acha que a meditação que Murray mencionou na sua entrevista á polícia, poderia realmente ajudar Michael a dormir?

    Dr. Steve Shafer: Talvez. Conrad Murray mencionou tanto o propofol como o lorazepam. Estes são dois sedativos que atuam no mesmo receptor no organismo, o receptor "GABA". A maioria dos medicamentos para dormir também agem em GABA, as excepções são os anti-histamínicos (por exemplo, benedryl) e melatonina. Então, eu esperaria esse género de drogas para induzir o sono. No entanto,não devem ser usadas para manter o sono, porque a droga interfere com algumas das funções cerebrais que são necessárias para o sono para este ser "reparador", o que significa que refresca o cérebro.


    Comentários Finais:

    MJJC: Quer deixar uma mensagem aos membros do MJJCommunity e fãs de Michael Jackson em geral?

    Dr. Steve Shafer: Uma vez que suas perguntas sobre a morte trágica de Michael Jackson foram respondidas, encorajo-vos a não pensar mais nisso. Conrad Murray foi condenado. Temos uma compreensão razoável do que aconteceu. É hora de voltar para os laços que permitiu criar o MJJCommunity e estarem juntos:a celebração da vida de Michael Jackson,a sua mensagem, e a sua música.

    Eu aprecio a oportunidade de responder às suas perguntas, e espero que as respostas sejam úteis para o MJJCommunity.

    Atenciosamente,

    Steve Shafer
    MJJCommunity - Michael Jackson Community
    Loyally honouring Michael Jackson since 2001
    Have a question or query by all means give us a shout contact@mjjcommunity.com

Bookmarks

Posting Permissions

  • You may not post new threads
  • You may not post replies
  • You may not post attachments
  • You may not edit your posts
  •